23.8.13

Autárquicas na Estrela - Análise I

A pouco mais de 5 semanas das Eleições Autárquicas, é já possível efectuar uma primeira análise em relação aos candidatos que se perfilam para a futura gestão administrativa da nova freguesia da Estrela.

Junção das actuais freguesias dos Prazeres, Lapa e Santos-o-Velho, será esta uma das principais zonas a atentar no que à Reforma Administrativa de Lisboa concerne, não só pela beleza e relevo enorme dos seus jardins, palacetes, museus, fontanários e igrejas, mas acima de tudo pela inclusão na sua zona ribeirinha de parte muito significativa do Porto de Lisboa e pelas gigantescas discrepâncias sociais existentes, as quais vêm agora agravadas.


São 6 as listas dos partidos/movimentos/coligações aceites pelo Tribunal competente, as quais virão ordenadas da seguinte forma nos boletins de voto:

- CDU
- Coligação PSD/PP “Sentir Lisboa”
- Bloco de Esquerda
- Partido Socialista
- Grupo de Cidadãos “Mais Estrela”
- “Plataforma de Cidadania Lisboa” (PPM)


Usando da maior sinceridade possível, parecer-nos-á óbvio que a grande dúvida que se coloca na composição do futuro Executivo da nova Junta advirá da batalha eleitoral a travar entre os partidos do denominado Bloco Central. Não se supõe em ponto algum que venha a existir uma “vitória esmagadora” de qualquer das partes, até pela tradição mais recente das 3 freguesias actuais.
Se em Santos o PS leva vantagem pelo trabalho meritório que realizou nos últimos anos (e dado o seu candidato ser o Presidente da Junta referida, que tanta simpatia granjeia entre os cidadãos), na Lapa e nos Prazeres parte claramente à frente a Coligação PSD/PP, até pelo facto de terem decidido optar por uma mudança de imagem, apostando num candidato mais novo mas já com uma vasta experiência autárquica.

Pelos contactos que temos vindo a efectuar com os vários candidatos nas últimas semanas e pela sensibilidade específica que temos para esta zona da cidade, deixamos bem claro que pretendemos seguir com particular incidência as propostas de Luís Monteiro e de Luís Newton, visto serem as campanhas mais (únicas?) bem preparadas e com possibilidades de sucesso.
Com todo o respeito que temos pelas restantes listas (e por maiores que sejam os nossos desejos de mudança e de alternância), não acreditamos na coesão das suas campanhas nem na apresentação de ideias realmente inovadoras, o que lamentamos profundamente.


Apesar de conhecermos pessoalmente o trabalho de Margarida Passinhas (CDU), não vemos nela uma fonte de renovação (que se exigiria) nem a garra suficiente para retomar tempos idos de predominância desta Coligação – como é exemplo a vitória da CDU há uma dúzia de anos nos Prazeres. Ainda que estejamos convictos de que deverá eleger (até talvez mais do que) um vogal para a Assembleia de Freguesia.

Por mais simpatia que tenhamos pelos incansáveis activistas do BE, não fazemos ideia de quem seja a Ana Isabel Vieira de Castro nem reconhecemos neste partido um valor acrescentado do ponto de vista autárquico (aliás, à semelhança da generalidade dos cidadãos e dos seus próprios órgãos internos).

Ainda que respeitemos o esforço meritório da lista independente “Mais Estrela”, que num espaço de tempo tão reduzido conseguiu obter as assinaturas necessárias para se apresentar ao eleitorado, não vemos no seu candidato uma pessoa nem experiente, nem aberta, nem com ideias de relevo, nem sequer particularmente democrática.

E estamos longe de imaginar quem seja – como é já habitual – o candidato do PPM ou o que de novo nos possa pretender trazer.


É nossa única intenção, neste primeiro texto de um projecto que se pretende duradouro e consistente, sermos o mais pragmáticos e imparciais possível.

O nosso objectivo imediato e primário é o de constituirmos uma fonte de informação credível -  mas sempre crítica - no acompanhamento do primeiro mandato autárquico da nova freguesia da Estrela, esforço esse a que nos comprometemos sem reservas ou facciosismos.


É, como tal e portanto, nesse sentido, que nos vemos na obrigação de destacar o candidato Luís Monteiro pelo valoroso e incansável esforço de proximidade que tem vindo a realizar ao longo das últimas semanas, sem nunca se furtar a com todos conversar de forma elevada (mesmo quando as opiniões divergem quase em absoluto), sugerindo a todos os eleitores da Estrela que consultem a sua página do facebook, a qual - para além da clara ausência de um Plano de Acções concreto que se exige – pouco fica a dever do ponto de vista qualitativo.

Da mesma forma, devemos lamentar que – depois de um início enérgico e prometedor – o candidato Luís Newton (também com página no facebook) tenha ocupado as últimas 4 semanas unicamente em campanha pró-Seara, esquecendo-se por completo que o seu objectivo directo é o de apresentar soluções para a gestão administrativa da nova freguesia da Estrela e o de satisfazer a curiosidade dos cidadãos interessados nas propostas que tem para apresentar. Ansiamos por mais e melhor.


Independentemente do que as próximas semanas nos venham a revelar, desejamos a todos os candidatos uma boa e elevada campanha, sempre na defesa dos cidadãos que indicam pretender representar!


Imagem: Largo da Estrela, na visão de J. B. Durão